Connect with us

Dicas e Curiosidades

Dicas para proteger o seu carro e evitar roubos

Publicado

em

Você sabia que no Brasil ocorre um furto ou roubo de carro por minuto? Em 2016, foram 557.000 casos registrados segundo o Fórum de Segurança Pública. Esse quadro é ainda mais crítico e frequente em capitais ou grandes centros urbanos. Quando o assunto é segurança, a coisa fica séria, então é melhor ficar atento e preparado para evitar problemas.

A grande maioria dessas situações deixam as vítimas totalmente indefesas e incapazes de mudar a realidade. Por outro lado, outra parte delas poderiam ser evitada se houvesse maior investimento em medidas preventivas simples. Se você quer ficar em segurança, é melhor conferir essas dicas que separamos para proteger o seu carro e evitar roubos. Confira:

1. Escolha corretamente o local para estacionar

É de senso comum que a melhor opção para esses casos é estacionar o carro em uma garagem fechada e segura, mas muitas vezes essa alternativa não está disponível ou não é viável. E daí não há escolha: o veículo precisará ficar na rua.

Sabemos que a hora de procurar uma vaga para estacionar perto do local onde se precisa ir pode ser difícil e o motorista pode acabar indo na primeira que aparecer, mas agir assim pode ser um risco para a segurança do veículo. Por isso, opte por ruas bem iluminadas e bem movimentadas – normalmente, nelas existem menos chances de pessoas mal intencionadas agirem.

E se o seu carro precisar ficar estacionado por um período grande de tempo, leve em consideração como o local pode ser durante a noite: ruas com muitas lojas e comércios, por exemplo, são cheias durante o dia, mas durante a noite tendem a ficar desertas. Para garantir ainda mais segurança, você pode deixar o carro em vagas próximas a prédios onde existem seguranças ou guaritas trabalhando e presentes.

2. Não se distraia antes de entrar ou sair

Mesmo escolhendo um local seguro para estacionar, ainda existem riscos. Portanto, ficar atento é essencial e deve tornar-se uma rotina: antes de entrar ou sair do veículo, dê uma olhada ao redor e confira se não há pessoas suspeitas por perto.

Na hora de sair, evite carregar em mãos objetos valiosos. Mas há uma ação de cautela ainda mais importante: conferir se o carro realmente foi trancado. Confira mesmo ouvindo o sinal sonoro de que as portas foram devidamentes fechadas em segurança porque existem meios pelos quais os bandidos conseguem inibir o sinal da sua chave. Além disso, ter a mania de conferir as portas é muito válido, pois evita riscos de deixá-las abertas caso eventualmente esqueça de trancar.

3. Não deixe objetos dentro do carro

Falando em bens materiais, aqui vai uma dica para proteger o seu carro e evitar roubos muito valiosa e que muita gente se esquece totalmente: não deixe objetos de valor à vista dentro do veículo. Isso pode torná-lo um alvo em potencial para bandidos. Guarde-os dentro do porta-malas, porta-luvas ou deixe embaixo dos bancos.

Bolsas, mochilas e sacolas também podem acabar chamando a atenção, então é melhor tomar conta delas. Nesses casos, vale ressaltar: mesmo estando vazios, esses itens atraem muito os assaltantes.

4. Preste atenção ao parar em semáforos

Nessas situações existem várias dicas úteis para melhorar a segurança. Duas delas garantem que o motorista não fique totalmente refém a assaltos e furtos: a primeira é reduzir a velocidade quando se aproximar do sinaleiro fechado, sem que pare totalmente para que a marcha continue engatada; a segunda é dar preferência para as faixas centrais, longe das calçadas. Assim, fica mais fácil acelerar e se distanciar da zona de perigo. Mas cuidado: reagir em ocasiões de furtos pode ser perigoso. Não faça nada por impulso.

Uma vez parado no sinal vermelho, mantenha-se atento aos retrovisores, assim você pode antecipar situações suspeitas, como aproximação de pessoas ou carros. Também prefira ficar longe do carro da frente para garantir maior visibilidade ao redor e também dispor de um espaço seguro caso precise movimentar o veículo.

5. Confira a rua antes de entrar na garagem

A cautela também é importante no momento de chegar em casa, e não apenas na rua ou em centros movimentados. O problema é que muita gente se sente segura apenas pelo fato de já estar na rua de sua residência, abrindo uma margem perigosa para a ação de assaltantes. Apesar de não parecer, muitos casos de riscos contra o motorista ocorrem enquanto eles entram nas garagens de suas casas, justamente porque estão com a guarda baixada.

Para evitar essas situações, também é preciso ficar atento e esperto: vigie a rua, as calçadas e principalmente as esquinas ou locais escuros, como as sombras de árvores em busca da presença de pessoas desconhecidas. Caso note alguma pessoa com comportamento suspeito, não entre em sua garagem. Siga reto ou dê meia volta. Por fim, avise a polícia assim que puder sobre o ocorrido para garantir a sua segurança. Se preferir ser ainda mais cauteloso, sempre dê uma volta no quarteirão antes de entrar na garagem.

6. Utilize equipamentos de segurança modernos

A tecnologia é de grande ajuda para a segurança, e com os automóveis não é diferente: equipamentos modernos podem evitar furtos e roubos sem colocar o motorista em risco. E são várias as opções!

Primeiro de tudo, é preciso citar os equipamentos mais simples, como o alarme. É imprescindível verificar se o sistema de alarme do carro está em boas condições para que funcione quando necessário. O simples fato de tê-lo instalado no carro já afasta as chances dele se tornar alvo de um bandido!

Os localizadores e rastreadores também podem ser de grande ajuda, apesar de auxiliarem em medidas posteriores a roubos ou furtos: eles servem para dar a localização exata de onde está o veículo para realizar sua busca pelas autoridades. No caso dos rastreadores, há a vantagem do motorista poder conferir essa localização sem que precise acionar a central de monitoramento da empresa responsável pelo serviço.

E mesmo que algumas dessas dicas para proteger o seu carro e evitar roubos pareçam óbvias em um primeiro momento, é muito importante ficar atento à elas e nunca releva-las, afinal, qualquer veículo está sujeito à todos os riscos possíveis, então é realmente melhor se prevenir, não é?

Se você achou este texto interessante e quer aprender ainda mais, não deixe de acompanhar o blog da DUB Store, tem sempre ótimas dicas para tunar o seu conhecimento sobre carros e acessórios. Confira, também, diversos produtos para cuidar e customizar o seu carro na nossa loja online.

Até logo!

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Dicas e Curiosidades

Você sabe diferenciar o farol de milha do farol de neblina?

Published

on

Quando você decide pegar a estrada para viajar nas férias, normalmente não sabe em qual ocasião você deve usar o farol de milha ou de neblina? Convenhamos que, talvez, você nem soubesse que esses faróis tinham alguma diferença entre si, e tudo bem, é uma confusão bastante comum. Então, ler este artigo vai te ajudar.

Vale ressaltar que é extremamente importante aprender a diferenciá-los, pois usar um tipo de luz em situações que na verdade deveria ser utilizado outro tipo de farol, não ajuda na visibilidade, ofusca a visão dos demais motoristas e ainda pode ocasionar acidentes.

Apesar da aparência quase que idêntica, a função deles é, sim, completamente diferente. Enquanto o farol de milha tem como propósito iluminar grandes distâncias à frente, o farol de neblina tem um alcance curto, menos intenso e direcionado ao solo, auxiliando na visualização da pista em que você está trafegando.

Farol de neblina – o que é e para que serve?

Como o próprio nome diz, o farol de neblina tem como função principal auxiliar na iluminação em casos de neblina, tempestades e até nevascas, são lanternas com pouca intensidade de luz e devem ser utilizadas para destacar os refletivos que estão nas ruas, por isso que a posição mais recomendável para posicionar o farol de neblina é bem próximo ao solo, até 80cm de altura.

E atenção! O farol de neblina só deve ser utilizado nas situações citadas acimas, ele não pode ser confundindo com o farol baixo dos carros e ser usado indiscriminadamente.

Farol de milha – O que é e quando usar?

Os faróis de milha têm uma função estética e deixam o carro com um visual mais esportivo, mas não adianta nada ter um carro bonito, cheio de artifícios e não saber como usá-los corretamente, não é?

Auxiliar dos faróis do automóvel, a iluminação dos faróis de milha é mais forte e direcionada, assim a sua luz não se espalha. Esse foco de luz facilita a visão do motorista em casos em que é necessária uma melhor visibilidade de obstáculos a uma distância maior. É por isso que o uso desse tipo de lanterna é mais recomendado para quando se dirige em estradas, especialmente as que ficam em ambientes mais afastados, em que a iluminação não é muito eficiente.  Em vias urbanas, o uso de farol de milhas só é indicado em locais sem iluminação pública.

Vantagens do farol de milha

Agora que você já aprendeu as diferenças entre os tipos de faróis e entendeu como utilizar corretamente o farol de milha, confira quais as vantagens de possuir ou instalar este farol auxiliar no seu carro.

A primeira delas é que o farol de milha eleva o nível de segurança durante a direção defensiva à noite, especialmente quando se trafega por locais mais escuros e desconhecidos, casos em que se é imprescindível ter uma melhor visibilidade com antecedência, evitando possíveis obstáculos ou curvas, assim você tem mais tempo para tomar decisões que podem evitar acidentes.

Outra vantagem é que o farol de milha também facilita a visão que os pedestres têm do seu carro, bem como uma percepção melhor sobre a distância do carro durante a noite.

Quais são os modelos de farol de milhas existentes no mercado?

Há uma grande diversidade de tipos de faróis de milha, há os feitos de plástico, aço, alumínio e até fibra de carbono. E, além dos materiais que utilizam na fabricação deles, há, também, muitos modelos, com uma variedade de formatos e tipos de lente.

Mas a parte mais importante de um farol de milha não é carcaça, o que faz a diferença para um bom farol de milha é a lâmpada, e uma boa escolha é essencial se o objetivo é um ótimo alcance de luz.

Xênon

As lâmpadas xênon são as que têm o melhor desempenho. Em geral elas têm um excelente alcance e conseguem iluminar grandes distâncias. Inclusive, por conta de tal potência, mais seu efeito estético e longa vida útil, foram febre nos últimos anos. Entretanto, por motivos de segurança, atualmente são proibidas em veículos que não saem de fábrica já com elas instaladas. Normalmente, são encontradas em carros esportivos e grandes SUVs.

Halógeno

As lâmpadas halógenas possuem um feixe de luz com uma cor que fica entre o branco e o amarelo. Por ser o modelo de lâmpada menos custoso, também é o mais comum no mercado, entretanto, seu uso vem diminuindo, por uma questão de modismos e também porque sua iluminação pode cansar um pouco mais a vista do motorista.

• Conheça a linha completa de lâmpadas halógenas na loja da DUB Store.

LED

O efeito estético das lâmpadas de LED é bastante parecido com o das lâmpada xênon, mas não é só nisso que elas se assemelham, elas também trazem um bom alcance de luz – importante para a função do farol de milha –  e têm a mesma economia de energia!

• Conheça a linha completa de lâmpadas de LED na loja da DUB Store.

O uso indiscriminado é um perigo!

Além da confusão que muitos fazem entre farol de milha e farol de neblina, há uma proporção alta de motoristas que ainda acham que o farol de milha substitui a lanterna dianteira do carro ou que pode deixá-lo ligado em qualquer momento de forma contínua. Entretanto, nada disso é correto, tanto nas estradas quanto em ambiente urbano, recorrer a esse recurso de luz de maneira indiscriminada prejudica os outros motoristas ao ofuscar a visão deles.

Portanto, via de regra, se um motorista é pego utilizando o farol de milha em situações que não há motivos para usá-lo – como vias e estradas devidamente iluminadas – ele está sob o risco de ser multado, além de colocar em risco o trânsito por atrapalhar a visão dos outros.

Últimas recomendações

Você, com toda a certeza, já foi o motorista que teve visão ofuscada por algum outro motorista vindo em direção contrária a sua com o farol desregulado, então seja consciente, use o farol de maneira correta e, ainda, não se esqueça de fazer o ajuste sempre que fizer algum tipo de revisão no seu carro, trocar pneus, amortecedores ou a própria lâmpada, faça o ajuste!

Falando em troca de lâmpadas, em geral os fabricantes recomendam a troca após 400 horas de uso, mas, sempre que for possível, verifique se está tudo em ordem com elas.

Se você achou este texto interessante e quer aprender ainda mais, não deixe de acompanhar o blog da DubStore, tem sempre ótimas dicas para tunar o seu conhecimento sobre carros e acessórios para carro. Confira também nossa loja e confira diversos produtos para cuidar e customizar o seu carro. Até logo!

• Conheça a linha completa de lâmpadas halógenas na loja da DUB Store.

• Conheça a linha completa de lâmpadas de LED na loja da DUB Store.

• Conheça a linha completa de lâmpadas de sinalização na loja da DUB Store.

Continue Reading

Dicas e Curiosidades

Melhores carros para tunar

Published

on

Utilizada no mundo inteiro por amantes de carro, o tuning é uma técnica que tem como objetivo otimizar um automóvel por meio de alterações – muitas vezes significativas – das características originais. É possível tunar quase que um carro inteiro, como partes do sistema elétrico, rodas, saias e para-choques; tais peças, quando incluídas ou trocadas, podem transformar um carro comum em um possante exclusivo. Aliás, em grande parte dos automóveis que passam por esse tipo de processo, é bem comum a personalização estética com estampas, desenhos ou formas que sejam do gosto e que tenham tudo a ver com personalidade do dono, deixando assim o resultado ainda mais completo!

Além do papel estético, também é bastante comum aumentar a potência do motor, alteração essa que deve ser feita baseada conforme a legislação vigente, ok? Com a alteração do comportamento natural do carro, quando feita de maneira inadequada ou até mesmo ilegal, pode colocar em risco a segurança do motorista e demais pessoas que trafegam na via.

Por conta dos preços baixos, em geral, os carros populares e antigos são os mais escolhidos pelos entusiastas do tuning. Os modelos antigos são ainda mais preferidos, pois eles têm um grande potencial para ficar com um resultado visual “vintage” incrível depois de tunados.

O Tuning no Brasil

Quando o assunto é tuning cada país tem um estilo diferente. Aqui no Brasil é bem comum tunar automóveis com rodas grandes, iluminação diferenciada, body kits bem largos, nitro, sistema de som e plotagens, sem contar as alterações no motor, sistema de suspensão, escapamentos esportivos em inox e sistema elétrico avançado.

Já os modelos de carros favoritos dos brasileiros que curtem tunar carros são, por exemplo, o Corsa, Astra, Vectra, Onix e o poderoso Camaro na Chevrolet. Audi e Volkswagen já são mais comuns encontrar Golf, Jetta, Polo, Fox, Gol, Saveiro e A3. Alguns Fiats, como Uno, Palio e Punto também figuram bastante nas ruas assim como os franceses, da Peugeot, 206 e 307.

Dos modelos mais novos até os antigos, com os acessórios certos, o resultado do tuning pode ser bárbaro.

Os melhores e mais velozes

Os apaixonados por tuning gostam muito é das modificações em veículos esportivos – e quanto mais velozes, melhor. Em geral são automóveis já com alto desempenho, compactos e mais acessíveis, além de também serem bem divertidos de modificar e, depois de tunados, incríveis de guiar, claro!

Se surpreenda, a seguir, com alguns desses carros que são super velozes e furiosos – com perdão do trocadilho 🙂 – e com um grande potencial para um incrível processo de tuning.

Audi A3 Turbo

1996 foi marcado pelo retorno da Audi para a produção de carros menores após o fim do Audi 50. Em 1999, a Audi expandiu a gama com a introdução de versões poderosas do A3 como o 1.8 Turbo. O A3 1.8T quattro (sistema de tração nas quatro rodas) tinha 150cv ou 180cv. Em 1999, a Audi também introduziu um corpo de cinco portas (fabricado no Brasil).

No final de 2000, a gama A3 foi reestilizado com novas lanternas e agrupamentos de luz, outras pequenas mudanças estéticas, um interior melhorado, e a introdução de um câmbio de seis marchas de câmbio manual, 1.8 Turbo e o novo 1.9 TDI (vendido na europa), que gerava 130 cv. Prato cheio pra quem buscava um carro bem acabado e potente pra tunar.

O super furioso Audi TT

Em setembro de 1998, foi lançado a versão de produção do Audi TT de primeira geração (também conhecido como typ 8N) com carroceria coupé, e em agosto de 1999 foi então lançado a versão roadster.

O TT usa um motor montado transversalmente, e uma transmissão de 5 velocidades manual para motores de 180 cv (132 kW), 6 velocidades manual para motores de 225 cv (165 kW) ou 6 velocidades Tiptronic para todos motores, e possuía a opção de tração dianteira, ou tração integral chamado quattro.

Além do visual incandescente o Audi TT é um carro voraz e algumas versões conseguem alcançar a velocidade de 0 a 100km/h em menos de 7 segundos, e máxima que superam os 240km/h.

Um Transformers no mundo do tuning – Chevrolet Camaro

Seja pelo visual retrô ou pelas linhas musculosas, o Crevrolet Camaro sempre foi um dos favoritos pra quem gosta de tuning. São centenas de empresas especializadas em produzir peças e acessórios para tunar exclusivamente o Camaro, dando ao proprietário inumeras opções estéticas e de performace.

O Camaro ZL1 é um chevrolet com motor V8 Supercharger e também com muita fama: O Camaro ZL1 aparece em alguns jogos da coleção Need for Speed, e foi o carro em que a personagem Bumblebee do filme Revenge of the Fallen da saga Transformers se transformava. O Camaro ZL1 chega aos 290 Km/h de velocidade máxima – Bom pra quem gosta de força bruta.

Chevy Corvette e seu estilo retrô

Entre os possantes de estilo vintage está o velho – mas nem por isso menos furioso – Chevy Corvette. Este modelo foi considerado um dos mais velozes do século passado, imagina, então, depois de tunado.

Foi o primeiro carro esporte inteiramente americano fabricado por uma empresa americana. É hoje também o carro que esta em produção por mais tempo, desde 1953. Também é conhecido por ser “cavalo barato” pois custa em torno de 70 a 100 mil dólares em sua melhor versão, o que é um valor muito inferior a concorrentes como Ferrari, Lamborghini entre outros, e tem uma performance semelhante e em alguns casos superior.

Francês turbinado da Citroën – DS3

Muito além do visual envocado e muitas opções de customização, o hatch da Citroën com motor turbo e câmbio manual pega qualquer apaixonado por tuning pela diversão.

Baseado no Citroën C3 as diferenças dos carros são evidentes, principalmente as duas portas únicas, como manda a cartilha dos esportivos.

Focus da oval azul

A segunda geração do Focus chegou ao Brasil em 2008, já reestilizada como na Europa – onde passou a ser conhecido como MK2,5. Começou sendo vendido nas versões GLX e Ghia com motor Duratec 2.0 16v de 147cv (câmbio manual) e 140cv (câmbio automático), ainda movidos somente a gasolina, convivendo com a antiga geração até o final de 2009. Após o fim da primeira geração, o Focus ganhou o motor Sigma 1.6 16v de 115cv Flex. O motor estava disponível na versão GLX. Em 2010, uma nova versão básica GL chega ao mercado e novamente atrasado, o motor Duratec 2.0 16v passou a ser Flex, quase 5 anos depois dos principais concorrentes.

Por ser um carro confiável, competente e relativamente “acessível” no Brasil ele foi procurado por quem gostava de acelerar e, eventualmente, tunar – principalmente por quem procurava boas opções no mercado de usados. Fez participação no jogo de tunning Need for Speed: Underground 2, além de alguns exemplares do Ford Focus da primeira geração que estiveram nas gravações do filme Velozes e Furiosos 5: Operação Rio.

O clássico Ford Mustang

Por trás deste visual retrô se esconde uma grande potência. Você sabia que, conforme o ano de fabricação, os limites de velocidade do Mustang variam de 180km/h a quase 300km/h? É por isso que este modelo estiloso também é um dos preferidos entre os entusiastas do tuning de carros velozes (e muitas vezes indomáveis).

O Mustang, apesar de ter sofrido grandes alterações ao longo dos anos é a mais antiga linha de automóveis da Ford, cujo nome se inspira na única raça de cavalo selvagem do país. Foi o primeiro “Muscle Car” da história, sendo seguido anos mais tarde por modelos concorrentes inspirados claramente nele.

Honda Civic Si e seu motor “girador”

Equipado com motor K20Z3, um DOHC, 2.0 aspirado, com sistema I-VTEC, de 192 cv. Com proposta esportiva, era fabricado com câmbio manual de 6 marchas, interior personalizado e LSD (diferencial auto-blocante). A diferença da versão era dada apenas pelas letras “i-VTEC DOHC” na lateral, rodas aro 17 e aerofólio no porta-malas. Foi eleito pela Revista Autoesporte o Carro do ano de 2007. Considerado o carro nacional mais rápido, perdendo o posto para o Volkswagen Jetta TSI, quando saiu de linha em 2011.

O Civic Si é um carro de personalidade forte. Apresenta uma silhueta esportiva, assegurando melhor coeficiente de resistência aerodinâmica. A frente possui design futurista, a traseira complementa a estética global do veículo, com lanternas multirreflexivas que se estendem na tampa do porta-malas. Seu visual inspira qualquer entusiasta de tuning e carros velozes.

O queridinhos dos anos 90 – Mazda Miata

Não podia faltar o Mazda Miata nesta lista de melhores carros para tunar, afinal este modelo foi febre nos anos 90 e ganhou o coração pelos apaixonados por tuning (foram mais de 400.000 unidades vendidas). O foco da Mazda com esse modelo conversível nunca foi a velocidade, e sim a experiência ao volante, porém mesmo dessa maneira, um Miata clássico de primeira geração consegue atingir 100 km/h em 8,5 segundos e a sua velocidade máxima é de 188 km/h. Já o Miata de fabricação mais atual tem velocidade máxima de 214 km/h e alcança 100 km/h em apenas 7,3 segundos.

A primeira geração era reconhecida pelos seus faróis estilo pop up, que transmitia muito carisma na época e atraiu inclusive as mulheres que buscavam um carro simpático para tunar.

O câmbio utilizado era um manual de 5 marchas, derivado do Mazda 929. O câmbio foi modificado para que as marchas ficassem o mais próximas possível ao serem selecionadas, fazendo dele um carro incrível de se guiar.

O Japonês sem pistôes Mazda RX-7

Em sua terceira e última geração, que chegou em 1992, o Mazda RX-7 era um verdadeiro carro de alto desempenho e procuradíssimo por quem queria um carro rápido para tunar. Com um novo turbocompressor duplo sequencial, a potência do motor aumentou para 239 CV (236 HP; 176 kW). É um dos poucos carros a empregar o motor rotativo Wankel, que dispensa os tradicionais pistões, árvores de cames, cambota, etc. Este tipo de motor tem muito menos componentes, mas possui uma potência específica superior. No entanto, tem a desvantagem do elevado desgaste, elevado consumo e pouco binário em baixas rotações. Foi um dos esportivos asiáticos de maior prestígio

O modelo da terceira geração foi considerado pelos entusiastas como o melhor de todos os RX-7, por seu fácil manuseio, sua capacidade de aceleração de 0 a 100 km/h (62 mph) demonstrada em 5,3 segundos, e uma velocidade máxima (autolimitada) de 250 km/h (155 mph).

Seu visual era típico dos anos 90, com formas muito mais arredondadas que seus antecessores, um capô longo, extensões sob a carroçaria e um spoiler marcante.

As duas últimas gerações (FC e FD) apareceram em vários filmes de ação da saga Fast & Furious. No primeiro filme, Dominic Toretto, interpretado pelo ator Vin Diesel, dirige um Mazda RX-7 para ir a provas de arrancada. Já no anime Initial D, os irmãos Takahashi da equipe Akagi Red Suns dirigem dois Mazda RX-7. Ryōsuke Takahashi, o líder da equipe, dirige um Mazda RX-7 FC branco e seu irmão mais novo Keisuke Takahashi dirige um Mazda RX-7 FD3S amarelo, e ambos os carros foram modificados para corridas de drifting nas montanhas.

A alta performance do Mitsubishi 3000GT

O 3000GT é um excelente Mitsubishi super indicado para tráfegos urbanos. É um carro tão potente e veloz que quem tuna este modelo faz poucas alterações. O motor biturbo deste modelo tem capacidade de alcançar os 100 km/h em menos de 7 segundos e sua velocidade máxima chega a algo em torno de 260 km/h.

Este carro recebeu muitos mecanismos que foram pensados para ele. O chassis foi desenvolvido tendo o controlo integral às quatro rodas. Esse carro inclui 4X4, direção. Tem também um spoiler e um sistema de escape que controla o som do escape.

O ìcone do tuning japonês Mitsubishi Eclipse

Ficou muito conhecido no longa metragem Velozes e Furiosos, pois foi o primeiro carro utilizado pelo protagonista Brian O’Conner (modelo este reproduzido pelos amantes do tuning ao redor do mundo), interpretado pelo ator Paul Walker. Também foi utilizado um Eclipse Spyder de 3ª Geração no segundo filme da franquia, pelo personagem Roman Pierce.

No outono de 1995, a segunda geração chegou ao mercado, nos Estados Unidos um modelo básico (sem turbo) e tinha um mecanismo diferente do Chrysler (2,0 L DOHC, código do motor: D420A). No GS-T e GSX permaneceu os motores 4G63 (que também estão no Mitsubishi Lancer Evolution), como em seus antecessores.

O Eclipse foi vendido oficialmente no Japão, América do Norte, Oriente Médio, Coreia do Sul, Filipinas, Brasil e China. No final de agosto de 2011, o Eclipse final saiu da linha de montagem e foi leiloado, com os rendimentos doados para instituições de caridade.

O mais viceral entre os sedãns – Mitsubishi Lancer Evolution

O Lancer Evolution, (também apelidado de Lancer Evo) é um sedan de alto desempenho baseado no Mitsubishi Lancer que foi fabricado pela Mitsubishi entre 1992 e 2015. Das dez versões fabricadas, todas utilizam um motor de 2 litros, com turbo e tração nas quatro rodas.

A décima versão do Lancer Evo (ou Lancer Evo X) foi extremamente popular entre os amantes de tuning e também por aqueles que buscvam um bom carro para corridas de rua ilegais ao redor do mundo. Tornou-se, assim, presente em diversos jogos de corrida esportivos (de corridas ilegais a camponatos de Rally).

Já no Brasil foi lançado em 2008, no modelo GSR, com 295cv de potência. Além desse modelo, uma versão exclusiva, chamada de John Easton Edition, especialmente criada para o mercado brasileiro, conta com motor de 360 cavalos e 48,5 kgf.m. A borda da grade frontal vermelha é exclusiva desse modelo, limitado a 100 unidades numeradas. Essa versão marca o fim da produção do Mitsubishi Lancer Evolution.

O pequeno esportivo da Nissan – 350Z

O Nissan 350Z é um pequeno esportivo que nasceu em 2002 como uma resposta a outros modelos da época que tinham um design mais exagerado e pouca potência embarcada. Muitos chegaram a dizer que o Nissan 350Z tinha muita semelhança com o Audi TT (já comentado nesta lista), por conta do caimento do teto em direção a traseira.

O 350Z se tornou um alvo fácil para quem queria tunar um bom esportivo, e não por acaso. No lançamento do Nissan 350Z no mercado norte americano ele foi anunciado por cerca de US$ 26 mil na versão de entrada e cerca de US$ 34 mil na versão topo de linha, colocando o Nissan 350Z como um dos esportivos à venda com valor mais acessível no mercado. Isso era fato, já que modelos como o Porsche Boxster de entrada custavam cerca de US$ 50 mil.

O modelo nipônico teve vendas tímidas no mercado nacional e seu valor quando novo não era tão atraente assim, mas não é difícil encontra-lo no mercado de usados com boas ofertas e muitas vezes já tunados.

Tuning pra quem anda de lado: Nissan Silvia

Entre 1988 e 1989, foi criado o Silvia S13, que se tornou extremamente popular no Japão. Até 1990 era equipado com os motores CA18DE e CA18DET, do antigo S12. Com a adição de um intercooler no CA18DET, conseguiu-se um aumento de potência. Porém, somente o modelo de 1991 começou a vir equipado com os motores SR20DE e SR20DET, com isso se conseguiu um ganho de potência e torque/binário bem expressivo em relação aos antigos. O S13 foi produzido até 1993. Em 1998 ele reapareceu, como uma variante, que era uma mistura de 180SX com a frente de um Silvia S13, produzido pela Kid’s Heart, e foi chamado pela Nissan de Sileighty. Esta mudança teve início entre os entusiastas japoneses que começaram a fazer essa modificação em seus 180SX.

O lugar onde o Silvia brilhou mesmo foi nas pistas de Drift – técnica de direção de carros que consiste em deslizar nas curvas escapando a traseira, girar o volante para que as rodas dianteiras estejam sempre em uma direção oposta a curva (se o carro vira para a direita então a roda deve estar a esquerda, e vice versa), controlando o nível de derrapagem, fazendo o carro literalmente andar de lado. Por se tratar de um carro leve e pequeno o Nissan Silvia é ótimo para as mudanças rápidas de direção que a modalidade exige.

Droga, é o Brian – Nissan Skyline R34

A geração R34, que surgiu em 1998, mantém a potência limitada a 280 cv, mas preparadores a levam a mais de 1.000 cv. Apenas o apetite por potência que esse carro tem já é o suficiente para criar legiões de fãns do tuning ao redor do mundo. O desenho musculoso remete ao R32 e a eletrônica comanda a tração e a direção integrais tornando-o rápido e sedutor.

O Skyline GT-R é um dos poucos automóveis nipônicos que conseguiu ascender ao estatuto de objeto de culto. O Skyline GT-R R34 ficou marcado na cultura popular pela sua participação nos filmes da franquia Velozes e Furiosos, o qual era pilotado pelo personagem Brian O’Conner, e nos jogos da franquia Need For Speed desde Need for Speed: Underground o qual era pilotado pelo rival final Eddie.

O Godzilla – Nissan GT-R (Gran Turismo Racer)

O Skyline 2000 GT-R, teve sua primeira aparição em 1968, no Salão de Tóquio, e, logo então, se tornou referência em potência e velocidade, é por isso que, de lá para cá, toda a linhagem de GT-R já produzidos são também carros que ficam entre os favoritos dos entusiastas do tuning. Entretanto, o novo GT-R, de 2017, é a mais nova joia rara quando se trata de carros esportivos. E uma observação importante é que além da sua estética luxuosa, seu limite de velocidade é 313 km/h.

O GT-R carrega a cultura japonesa desde seu projeto inicial, seu design foi inspirado nos robôs Gundam, o carro é oposto aos concorrentes europeus e americanos, o GT-R tem linhas fortes e robustas sugerindo baixa eficiência aerodinâmica, mas oque acontece é justamente o contrario, com um coeficiente aerodinâmico de 0,26 o design GT-R é pensado e produzido para reduzir arrastos e vórtices ao máximo, além de empurrar o carro para baixo aumentando a aderência e segurança em altas velocidades.

Um modelo específico do GT-R, o icônico Calsonic R32 GT-R, obteve muito sucesso nos 1.000 km de Mount Panorama. Devido ao sucesso do Calsonic, um jornalista australiano apelidou o GT-R de “Godzilla”. Desde então, todos GT-R são apelidados assim.

Direto dos anos 90 – Subaru WRX / STI

Para quem é fã de velocidade, este Subaro tem a capacidade de alcançar 100 km/h em 6 segundos; já para quem é vidrado em modificações estéticas, o formato deste modelo é perfeito para muitas delas, principalmente quando a ideia é ter um aerofólio personalizado, característica bem marcantes do Subaro.

Fabricado desde 1992, quando sua primeira geração veio ao mundo, o Impreza é apresentado como um substituto para a linha Leone e conhecido por sua confiabilidade mecânica e estabilidade proveniente do sistema de tração S-AWD aliado com o consagrado motor boxer.

Desde a terceira geração, alguns mercados, incluindo o Brasil, adotaram o nome abreviado “Subaru WRX” para as versões de alto desempenho do Impreza.

O supremo Toyota Supra

Os apaixonados por velocidade adoram o Toyota Supra, isso porque ele tem um desempenho surreal: a sua velocidade máxima é de 250 km/h e é capaz de atingir a velocidade de 100 km/h em menos de 5 segundos! Sim, é uma verdadeira potência quando tratamos de veículos velozes.

O nome “Supra” é derivado do prefixo latino, que significa “acima”, “ultrapassar” ou “ir além”. O Supra possui linhas agressivas e um aerofólio para gerar sustentação negativa e dar mais esportividade ao design do carro.

Toyota Supra apareceu em vários video-games de corrida, filmes, vídeos musicais e programas de televisão. Alguns dos aspectos mais notáveis ​​são as aparições nos jogos Grand Theft Auto: San Andreas (como uma paródia do carro), Gran Turismo, Forza Motorsport, Need for Speed, Midnight Club, Assetto Corsa e Asphalt 8: Airborne.

Um Supra de 1995 também apareceu no filme de ação de 2001 Velozes e Furiosos onde fez muito sucesso. Em 2015 no Furious 7, como uma homenagem ao falecido ator Paul Walker; e Fast & Furious 9 apresenta um GR Supra laranja de 2020, a mesma cor do carro que apareceu no primeiro filme da série, que é dirigido por Han Seoul-Oh e Jakob Toretto, irmão de Dominic Toretto.

Além disso o Supra é reconhecido também pelo seu suporte pós-venda, o que é de extrema importância quando se adquire uma máquina extrema como essa.

Paixão nacional – Volkswagen Golf GTI

O Golf por si só já é uma excelente porta de entrada para os amantes do tuning, mas a versão GTI certamente é a pimenta que falta para deixar a diversão ao volante na dose certa.

A sigla para Gran Turismo Injection surgiu pela primeira vez em 1976, inalgurando o segmento de modelos compactos esportivos da Volkswagen. O visual exibia os prolongadores nos para-lamas, moldura preta na janela traseira, contorno vermelho na grade do radiador, volante esportivo, manopla de câmbio no formato de bola de Golf e o charmoso tecido xadrez nos bancos. O motor 1.6 8V trazia injeção eletrônica, com 110 cv de potência. Um carro praticamente perfeito, mas com muito potencial para quem gosta de modificações.

A sétima geração foi a primeira feita sobre a moderna plataforma modular (MQB) e a potência subiu para 220 cv (o Golf GTI Performance, com 233 cv).


E aí, esquecemos algum bom carro para tunar? Deixe nos comentários os carros que não pode ficar de fora dessa lista.

Já imaginou tunar carros como esses? Se você curtiu, se inspirou e se animou a fazer algum tipo de alteração no seu carro, a nossa loja online está lotada de opções para deixar o seu possante turbinado e com um visual furioso. Confira no banner abaixo:

Continue Reading

Dicas e Curiosidades

Seguro para carros modificados: como modificar seu veículo e manter o seguro

Published

on

Entre nós, amantes de carros, não é difícil encontrar alguém que queira fazer modificações no veículo. Rebaixar um pouco, mudar a largura dos pneus e das rodas e instalar peças diferenciadas são coisas que muitos motoristas sempre quiseram fazer.

No entanto, essa pergunta provavelmente passa pela cabeça de muitas pessoas: “e o seguro?”. O medo de ficar sem cobertura já afastou muitos de ter o carro dos sonhos.

Não precisa ser assim, sabia? É possível fazer modificações no veículo e ainda garantir o seguro, já que o próprio Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) autoriza algumas alterações. Uma delas, por exemplo, são as modificações na altura do carro, regularizada em 2014.

Sendo assim, hoje vamos falar sobre a relação entre seguro e modificações e descobrir como é possível ter um carro assegurado e, ao mesmo tempo, com a aparência que você quer. Olha só.

Como garantir seu seguro com o carro modificado

Diversas modificações são permitidas pelos órgãos de trânsito e, por isso mesmo, também são aceitas por algumas seguradoras. Essas empresas levarão em consideração principalmente o perfil do motorista para analisar os fatores do seguro, não apenas os itens instalados.

Uma regra é chave e deve sempre ser aplicada: converse com a corretora ou seguradora para saber se a modificação do veículo não interfere no contrato. Isso vale principalmente para quem está pensando em contratar o seguro depois de já ter modificado o carro.

Além de garantir todas as informações sobre a cobertura da seguradora antes de qualquer modificação, outra prática é igualmente importante: não omitir e/ou mentir sobre qualquer alteração já feita no veículo. Em caso de acidentes, caso seja constatada alguma modificação não identificada previamente, o motorista certamente perderá a cobertura.

Quem já possui o seguro e quer modificar o carro dificilmente encontrará dificuldades para manter o contrato como está, especialmente se a alteração não for grande. O ideal, em qualquer situação, é informar a seguradora ou corretora antes de tudo.

Por que algumas seguradoras dificultam as modificações?

O motivo pelo qual algumas seguradoras recusam veículos modificados é por acreditar que as modificações interferem na segurança que o veículo oferece – e, portanto, aumentariam as chances de acidentes – e também podem ser chamarizes para bandidos.

Esses dois fatores, claro, fariam com que o motorista tivesse que acionar o seguro mais vezes, transformando o contrato num “mal negócio” para a empresa.

Uma ideia comum é a de que, por exemplo, modificar a potência do veículo ou alterar sua altura são coisas que dificultam a direção ou comprometem a segurança pelo uso de peças não originais.

No entanto, os órgãos de trânsito já aprovam modificações desse tipo. É possível, por exemplo, que o motorista altere a potência de seu veículo em até 10%, para mais ou para menos, dentro da lei. Para a altura, a altura mais baixa permitida é de 10 cm do chão com base no ponto mais baixo.

O uso de itens como chips de potência e molas esportivas, portanto, é permitido pelas leis de trânsito brasileiras.

Vale a pena continuar assegurado?

No fim das contas, modificar o carro e mantê-lo segurado é uma tarefa que vale a pena. Afinal, você merece ter seu veículo com a aparência perfeita, mesmo que precise passar por alguma burocracia para isso.

As modificações mais simples, pneus largos e rodas de liga-leve, quase nunca dão qualquer dor de cabeça. As modificações que poderiam complicar na hora de fazer um seguro em geral são aquelas mais visíveis – como em para-choques diferenciados, alteração de cor, etc.-, entretanto, modificações em molas esportivas, também costumam dificultar ao contratar o seguro.

Para garantir sua tranquilidade, lembre-se da regra de ouro: converse com a seguradora ou corretora antes de qualquer modificação.

As modificações e as leis

Abaixo, separamos algumas informações breves sobre o que diz a legislação do Código de Trânsito Brasileiro a respeito das modificações mais comuns em veículos.

• Motor: de acordo com a lei, o máximo permitido de aumento ou diminuição da potência do motor é de 10%;

• Rodas e Pneus: não é permitido exceder os limites externos do para-lamas, sendo obrigatório manter o tamanho do conjunto externo (roda e pneu). Pneus maiores e aros diferenciados (liga-leve) são permitidos;

• Visual: é possível fazer diversas alterações no visual do carro, mas essas de maneira alguma podem interferir nas medidas originais do veículo;

• Altura: pelo Contran, é permitida a alteração na altura do veículo, porém fica a cargo do Inmetro a verificação do veículo e a sua liberação ou não;

• Cor: segundo a lei, se um adesivo ou alteração cobrir mais de 50% do veículo, é obrigatória a reconfiguração do documento;

• Chassi: definitivamente proibido qualquer alteração no chassi do veículo.

Se você já tem em mente a modificação que quer fazer em seu carro e quer mais informações sobre, converse com a DUB Store! Não nos preocupamos apenas com a aparência do seu veículo, mas também com sua segurança, conforto e, claro, com seu bolso.

Quando quiser deixar seu carro mais com a sua cara, conte com a gente!

Continue Reading
Advertisement

Mais Lidas do Mês