Dicas e Curiosidades

Sinais de que você precisa trocar os pneus

Published

on

Existem inúmeros fatores em que devemos ficar atentos no veículo para garantir a segurança do motorista, dos passageiros e também das demais pessoas que utilizam as ruas, estradas e rodovias. Deve-se sempre checar os freios, motores, a parte elétrica, entre outros, e fazer revisão sempre que necessário.

Mas existe outra parte que as pessoas insistem em acabar se esquecendo: os pneus. E já que estado e a performance deles podem afetar drasticamente a direção, podendo causar vários riscos, separamos os principais sinais que indicam: você precisa trocar os pneus. Confira só:

Por que ficar atento aos sinais?

Antes de falar sobre cada um dos sinais, é essencial que se explique a importância de ficar de olho neles. O motivo mais óbvio é o papel crucial dos pneus para o veículo: seu contato direto com a estrada e a condução. Pneus desgastados ou velhos afetam a eficiência do veículo, podem atrapalhar o motorista e causar acidentes. A aderência do veículo com o solo é garantida pelos pneus, assim como a estabilidade do controle do automóvel pelo motorista. Pistas molhadas, por exemplo, proporcionam situações ainda mais críticas que exigem pneus em bom estados. Em casos extremos, os pneus podem até estourar. Além disso, no Brasil, existem leis que punem motoristas, porque consideram infração dirigir com pneus em mau estado de conservação.

E se você pensa que o desgaste é o único motivo pelo qual deve se preocupar, está bem enganado. Outros problemas podem surgir e apontar sinais que você precisa trocar os pneus, como caroços, calombos, furos e deformações.

Indicadores básicos

A primeira pergunta que pode surgir quando se pensa nos pneus é a cada quanto tempo eles devem ser trocados. Bom, todo pneu tem um prazo de validade que é de normalmente 5 anos após a sua fabricação. Para descobrir essa informação é simples, pois está registrada no próprio produto: na sua lateral há sempre um código iniciado pelas letras D O T. Ao final do código, existem quatro números entre parênteses. Os dois primeiros indicam a semana do ano em que fora fabricado, enquanto os dois últimos indicam o ano de fabricação. Conferir essa data e tê-la em mente é o primeiro passo para garantir a segurança do veículo.

Saiba mais sobre as informações encontradas nos pneus em nosso outro artigo.

Mas, como a durabilidade dos pneus depende de inúmeros fatores externos, o melhor a se fazer é ficar atento: com certa frequência, observe-os com cautela para conferir seu estado e buscar indícios de que está na hora de serem trocados.

Desgaste das bandas de rodagem

É até possível estabelecer e calcular através da quilometragem do carro uma data para que se faça a troca dos pneus, mas esse dado pode variar, já que o desgaste depende de muitos fatores como a direção, o balanceamento, a pista por onde roda, a calibragem, etc. Por isso, informações como a data de validade e quilometragem devem ser apenas referências básicas. Buscar sinais visuais é mais seguro e garantido para entender como eles estão.

Todo pneu possui indicações de segurança feitas justamente para mostrar ao dono do veículo a saúde do produto, como nas bandas de rodagem. São elas que entram em contato direto com o solo e perdem volume com o tempo devido ao desgaste. Nessas bandas estão presentes os chamados sulcos, que são fendas responsáveis pelo escoamento da água quando o asfalto encontra-se molhado pela chuva. E é daí que vem o perigo de se dirigir na chuva com pneus desgastados, pois os sulcos não conseguem cumprir sua tarefa e o pneu pode deslizar com mais facilidade.

Confira as 3 categorias de bandas de rodagem dos pneus neste outro artigo.

Para que não exista esse risco, deve-se observar o nível de desgaste das bandas de rodagem. Nelas existem as chamadas barras de desgaste ou TWI (Tread Wear Indication) – pequenas pontes que ligam um sulco ao outro. Quando as bandas desgastam a ponto de alcançar essas barras, nivelando-as com os sulcos, está na hora de trocar os pneus urgentemente.

Teste da moeda

Em alguns casos, o motorista pode encontrar dificuldades de observar o nível em que se encontra o desgaste através das barras. Mas existe um truque muito comum e certeiro para verificar corretamente.

Em geral as barras possuem 1,66mm – medida que varia dependendo do pneu -, ou seja, essa é a altura máxima que o pneu pode desgastar. Utilizando uma moeda de R$ 1,00, é possível conferir facilmente se esse limite foi alcançado ou não.

Pegue a moeda e a posicione no centro da banda (a “fenda” entre os sulcos) e observe-a: se a parte dourada estiver exposta e você conseguir vê-la quase completamente, os pneus devem ser trocados imediatamente. Se a parte dourada estiver levemente exposta, é bom já garantir pneus novos. Caso a parte dourada não esteja visível, não há necessidade de realizar a troca do pneu, já que há um indicativo de que as bandas não se desgastaram o suficiente.

Bolhas ou inchaços

Como falado lá no começo do texto, o desgaste não é um dos únicos sinais que você precisa trocar os pneus a aparecer, já que eles podem apresentar outras deformidades que falam muito sobre o seu estado. Elas podem aparecer na lateral do pneu, então é bom ficar de olho nessa região também. Nela podem ocorrer espécies de inchaços e bolhas que revelam danos na parte interna do pneu. Isso acontece porque a pressão do ar pode alcançar o material mais externo.

Independente do estado das bandas de rodagem, o pneu deve ser trocado quando apresentar esses problemas em sua lateral. Continuar rodando mesmo com esses sinais presentes é perigoso, já que as chances de uma falha súbita aumentam muito.

Vibração no volante

Os sinais de que você precisa trocar os pneus não aparecem apenas nessa parte específica dos veículos. O volante, por exemplo, pode ser um indicador também. Por isso, permaneça atento a ele enquanto dirige: você poderá sentir uma vibração nas mãos que demonstram que os pneus precisam ser balanceados. Caso o efeito persistir, será necessário realizar a troca.

Ah, e vale lembrar que pneus desgastados não são os únicos defeitos perceptíveis com a vibração do volante – ela pode acontecer também quando os pneus não foram rotacionados da maneira correta, permanecendo curvados para dentro.

Ressecamento

Outra maneira fácil de verificar a saúde dos pneus é observando também a sua parte externa – se ela apresentar rachaduras por toda a borracha, o pneu pode se soltar da cinta de aço, causando alguns estragos sérios ao veículo. Nitidamente, a troca precisará ser feita.

Para manter os pneus saudáveis, você deve calibrá-los regularmente e rotacioná-los. Mas, se os pneus do seu carro apresentarem um ou mais dos sinais que explicamos anteriormente, atenção: busque trocá-los o quanto antes! Você pode contar com o time de especialistas da DUB Store para orienta-lo sobre a manutenção, escolha da melhor marca e modelo além de adquirir com os melhores preços do mercado. Fale com a gente!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Mais Lidas do Mês

Sair da versão mobile